Menu

Cart

Deprecated: Non-static method JSite::getMenu() should not be called statically, assuming $this from incompatible context in /home/ebooks/domains/ecrambooks.com.br/public_html/templates/gk_storebox/lib/framework/helper.layout.php on line 148

Deprecated: Non-static method JApplication::getMenu() should not be called statically, assuming $this from incompatible context in /home/ebooks/domains/ecrambooks.com.br/public_html/includes/application.php on line 536
Poesias Dispersas de Machado de Assis - Poesias
zoom

Poesias Dispersas de Machado de Assis

Preços de venda: R$ 6.99
  • Descrição

Poesias Dispersas de Machado de Assis é um conjunto de 108 poemas. As poesias versam sobre os mais diversos temas.Na poesia que abre o eBook, o poeta e grande escritor, com seu talento e estilo peculiar, descreve com primor uma palmeira que dá o nome à poesia: A Palmeira.

No poema O meu viver ele descreve romanticamente como ele se sente vivendo, ele diz:

Chama-se a vida a um martírio certo
Em que a alma vive se morrer não pode,
É crer que há vida p'ra o arbusto seco,
Que as folhas todas para o chão sacode.

Em Resignação, outro poema, notam-se todas as características da escola romântica a que ele foi um dos seus maiores representantes.

Machado de Assis também dedica vários dos poemas da obra a amigos e parentes e um em especial ele dedica à sua mãe. Escreve poemas dedicados a grandes escritores e poetas brasileiros, quase todos seus contemporâneos  e companheiros da mesma escola literária, o romantismo.

Em uma bela poesia, dedicada à Carolina, sua mulher, ele descreve o fervor do seu amor por ela em um dos mais belos poemas da obra. O poema que foi publicado em Relíquias de Casa Velha como dedicatória do livro.  Ele escreve:

A Carolina
1906
Querida, ao pé do leito derradeiro
Em que descansas dessa longa vida,
Aqui venho e virei, pobre querida,
Trazer-te o coração do companheiro.
 
Pulsa-lhe aquele afeto verdadeiro
Que, a despeito de toda a humana lida,
Fez a nossa existência apetecida
E num recanto pôs um mundo inteiro.
 
Trago-te flores, — restos arrancados
Da terra que nos viu passar unidos
E ora mortos nos deixa e separados.
 
Que eu, se tenho nos olhos malferidos
Pensamentos de vida formulados,
São pensamentos idos e vividos.

Machado de Assis dedica um soneto ao então Imperador do Brasil, Dom Pedro II, onde ele enaltece as qualidades e demonstra o seu respeito e admiração pelo monarca. Ele escreve para Dom Pedro:

Nesse trono Senhor, que foi erguido
Por um povo já livre, e sustentado
Por ti, que alimentando as leis, o estado
Hás na História teu Nome engrandecido

Em outro poema, ele descreve o Pão de Açúcar com requinte de detalhes, onde pela leitura nos leva a ver com clareza como é este grande monumento da natureza na cidade do Rio de Janeiro. Aqui já se nota um Machado de Assis mais realista.

Ele escreve em vários poemas sobre os assuntos mais variados e cotidianos. Fala de dormir no campo, da saudade em mais de um poema. Dedica um poema às lágrimas. Escreve para e sobre Deus. 

Vale a pena a leitura, pois, dá uma mostra da versatilidade e habilidade do autor com as palavras e a língua. Também dá para diferenciar com clareza as diversas fases da obra machadiana indo do romantismo ao realismo de um tema a outro, como disse José Verissimo, que em sua História da Literatura Brasileira, dedica-se a um capítulo inteiro para tratar de Machado de Assis e lhe separa duas fases de sua obra: uma ligada à escola romântica (ou aos convencionalismos da época) e outra realista.

Por favor, faça login para escrever uma opinião.

Ecrambooks Livraria Digital

Rua Agamenon Pereira da Silva, 221

São Paulo - SP, 04942-020

(11) 26496079

Color I Color II Color III

Log In or Register

fb iconLog in with Facebook